Clube Literário

Postado por em 30 jun, 2015 - Textos

Ela chegou ao lugar. Era uma antiga casa, muito bem cuidada, com um lindo jardim na frente. Dentro da casa, muita gente. Todos aguardavam o início do evento: um clube literário. Aquelas pessoas se encontravam quinzenalmente para aprofundarem e discutirem livros de comum interesse.

Ela escolheu sua cadeira e sentou-se para aguardar. Toda a gente falava e o salão da casa dava ainda mais ressonância ao barulho das muitas vozes juntas. Ela, que estava sozinha, escolheu o silêncio. Uma mulher que sentava ao seu lado virou-se para ela com um irônico sorriso e disse: “que confusão, hein?!”, acompanhado daquela soberba risadinha típica de quem diz quantos livros leu na vida.

Ela escutou o comentário e, como uma forma de mostrar que também leu um tanto de livros, quase riu de volta. Quase falou a mesma coisa de volta. Mas algo de novo aconteceu naquele dia que ela preferiu se manter em silêncio.

Então, passando os olhos e ouvidos ao redor, percebeu que aquele ranger de palavras soltas pelo salão eram o resultado de outras risadinhas e comentários. Uns aos outros sorriam e diziam: “que confusão, hein?!”.

Olhou os pés daquelas outras pessoas e todos eles pareciam desconfortáveis. Não com o barulho salão, mas com os sapatos apertados.

Seu silêncio, então, ganhou espaço em si e ela foi dar uma volta no jardim.

Clube Literário

Padrone (foto de Arthur Belino)