A espera de Eduardo e a distância de Sofia

Postado por em 9 jul, 2015 - Textos

Quanto mais Eduardo espera de Sofia, mais distante Sofia fica de Eduardo. Ela sai de sua naturalidade para tentar agradá-lo, com medo de que ele venha a deixá-la ou trocá-la por alguma outra mulher que possa atendê-lo naquilo que ele sempre espera. Sofia não consegue fazer o que quer e nem atende as expectativas de Eduardo, pois sempre que tenta, o faz com um sentimento de dever.

Quanto mais distante Sofia fica de Eduardo, mais Eduardo espera de Sofia. Ele procura abrir um espaço para um diálogo aberto entre os dois, mas nunca diz exatamente o que gostaria dela. Ele acha que, se realmente gosta dele, ela deveria saber o que ele quer sem precisar dizer, pois para ele é óbvio. Tem medo que Sofia canse desse seu jeito de estar sempre cobrando e o deixe.

E assim os dias vão passando. Mudam-se apenas os personagens e os cenários; a dinâmica não.
Os dois sentem-se frustrados.

Quem começou? Quem é o culpado? Os dois insistem em olhar apenas para o outro, para fora de si. A tentativa de responder a estas questões não é capaz de trazer uma resposta verdadeira; faz escoar uma energia vital de criação de novas possibilidades.

Apenas com amor é possível perceber a simplicidade de um nó que se mostra tão complicado, e que se desfaz quando percebemos que para ser feliz basta abrir mão de querer ganhar do outro.

E num estalar de dedos a vida muda.

A espera e a distância (foto de Arthur Belino)